domingo, 12 de maio de 2013

Que cheiro de naftalina! Ou: eu nunca pensei que "voces" virariam "eles"! - Parte II

Outra notícia que me causou indignação foi o lançamento do programa Atleta na Escola. O factoide promovido pelo governo essa semana reuniu o ministro-maluquinho (aquele que adora um factoide, o Mercadante), o garoto-propaganda da Nike (o comunista - aí! - Aldo Rebelo) e o representante do Ministério da Defesa (?), general Fernando de Azevedo (mas não podia ter outro nome, que não ofendesse o célebre educador?).
Ora, dos dois ministérios - Esporte e Defesa (?) - a gente pode esperar qualquer coisa mesmo. No do Esporte, como sabemos, além da adesão incondicional do PC do B à máfia do esporte nacional (COB/CBF), que vem de longe, o objetivo é outro, tem a ver com convenio$, transferencia$, negociaçõe$... Na Defesa, a lógica do espírito militar garante obediência servil, portanto, abrir os quartéis para realizar disputas de atletismo não tem nada de excepcional.
Mas o Ministério da Educação, que já teve à frente um Cristóvão Buarque, embrenhar-se nessa palhaçada de detecção de talentos na escola, sob o argumento que isso será o legado que os megaeventos deixarão à cultura esportiva do país, é de doer! É a re-esportivização da Educação Física escolar em marcha...batida! Nos anos 70, com o argumento de que era preciso provar sermos uma potência mundial (na verdade, para abafar a resistência estudantil ao governo militar), a ditadura militar também usou esse discurso do esporte, por atos, decretos e ações. É impressionante como, nessa área, o governo Lula/Dilma segue tão  fielmente os passos da ditadura. Tornaram-se "eles" e ainda acham que são originais!    

5 comentários:

Silvan Menezes disse...

Gio, vou responder aqui para as suas duas postagens indignadas e com razão.
Ainda ontem conversava isso com a minha mãe em casa... Como sujeitos que viveram e sofreram a experiência daquela época da ditadura conseguem se submeter a certas situações contemporâneas do país se associando/coligando a repressores, torturadores e assassinos deles próprios e de seus pares? Como é possível se desapegar das marcas que não são só subjetivas, são materiais e devem estar registradas no próprio corpo deles? Não sei o que se passa na cabeça destas figuras... deve ser naftalina mesmo! "Arg" Chega a dar náuseas... Fico imaginando para vocês que viveram e viram tudo isso acontecer!

Fernando G. Bitencourt disse...

Gio,
que belo (se é que há beleza na tragédia) post. O anúncio do fim da esquerda institucionalizada já havia sido dado na coligação PT/PL que assumiu o governo. A esperança de Darcy Ribeiro(educadores são assim, não?), de que Lula governaria o primeiro mandato com o centro e depois faria sua guinada à esquerda, por razões que a estrutura do capital podem esplicar, não se realizou.
Sabemos que o esporte tem servido à vários patrões, talvez seja essa a marca da sua insistente presença em nossa vida e sua força conservadora, mas não esperava ver ainda o escrevo se identificar com escravizador. A personalidade autritária reaparece na figura canhestra da convivência harmoniosa - pseudonimo da governança em nome do lucro.
Ontem o Brasil cedeu o petróleo, um banco comprou a credicard... A discussão da MP dos portos deve se dirigir para a usurpação do público (o X no Maracanã é roubo de pirulito).
Enquanto isso o Felipão convoca a seleção, o Marin faz pose, o circo segue e os palhaços ficam.

Fernando G. Bitencourt disse...

Ps,
onde se encontra esplicar leia-se eXplicar (não consegui editar o comentário).

Diego S. Mendes disse...

Olá Gio, também acompanhei o anúncio da ultima dádiva dos mega-eventos ao país. O interessante foi ver que depois de todo um discurso(?) do ministro do esporte sobre legado, investimento na educação brasileira e outros bla, bla, bla de sempre, o ministro da educação foi pontual: o investimento será no atletismo, pois é a modalidade que mais capta medalhas em uma olimpíada e não exigem maiores investimentos em estruturas, já que pode ser realizado em qualquer lugar. Além de tudo mencionado por você, para além de legado, se trata de caça-talentos para essa olimpíada. Seria hilário, se não fosse tão trágico!

Sergio Dorenski disse...

Pois é Gio, toda vez que vejo estes resquícios da ditadura no ar me sinto muito mal. Por que vivi minha infância, juventude, fase adulta...melhor parar... com este fantasma. Já disse em outros momentos que tenho raiva do hino nacional, acho um hino feio, com um toque militar e aquele início ..."panrã panrã panrã panrã panrã panrã pan..." me dá nauseas, mas vão dizer que não sou brasileiro. Isto tudo foi provocado por um período ruim em nossas vidas, 21 anos de ditadura deixam marcas irreversíveis...
Interessante como estas medidas do governo vermelho faz sair do caixão velhas figuras que tinham no esporte sua serventia e já estão metendo portarias nas escolas para formação dos atletas...eita!
Uma vez ouvi a professora Celi dizer que o Lula, o PT, não está só acabando com o Partido, "está acabando com a esquerda no Brasil". Isto aconteceu depois que ela mesma havia dado um voto para "transformação do país", um "voto vermelho". Veja só que tiro no pé!
Eu sempre disse que o PT nunca me enganou, sempre achei que era um partido da aristocracia brasileira, tanto é que foi mais competente que os outros partidos anteriores - tido como reacionários (e são mesmo) - ganhando até o aval dos yankes, é mole?
O que falar da Educação no país desses. Vários Estados em greve - inclusive aqui em Sergipe - por melhorias de condições de trabalho e salários, medingando um mísero aumento e a gente assistindo a tudo isto, pasmo. Vendo o Show de Truman materializado em Neymar (bola da vez Mazinho, logo virá outro como toda mercadoria, ele tem data de validade), de mãos atadas vendo a roubalheira dos cofres públicos, vendo a riqueza nacional sendo entregue a pequenos, gananciosos e poderosos grupos do capital nacional e internacional como se num processo de fagocitose, engolindo os mais fracos e com dinheiro público...ah, óbvio!
Vai aparecer ainda muita aberração, isto eu tenho certeza!