quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Liberdade de imprensa, ela existe dentro da imprensa?

não é novidade alguma que os grupos editoriais definem a ideologia das matérias/reportagens e notícias veiculadas em suas páginas impressas, on-line, e até mesmo TV. Essa situação já colocou muito jornalista em sais justa, tendo que recorrer a um blog ou ao twitter para poderem expressarem suas opiniões. Apesar disso os jornais impressos apresentam algumas possibilidades de fuga dessa camisa de força sejam as colunas (os colunistas de jornais). Talvez como uma forma de agradar uma maior fatia de consumidores. Esses mesmo grupos são os que reclamam de uma possível censura na imprensa por parte do Governo Federal (PT). E quando a censura ocorre no próprio jornal? Seja por fazerem um recorte ideológico da verdade, ou como o ocorrido no ESTADÃO (Jornal o Estado de São Paulo). que demitiu a Psicanalista Maria Rita Khel - pessoa que tenho grande apreço. (uma das autoras do livro VIDEOLOGIAS, muito bom). - ela foi demitido após emitir sua opinião sobre os votos dos pobres, na eleição 2010.
para saber mais olhem a entrevista no site do terra.

Só para finalizar, esse jornal (Estadão) foi o mesmo que assumiu publicamente em seu editorial, semana passada, apoio a José Serra, nas eleições 2010. alegando que seria um erro para o Brasil mais um mandato Petista.
como podemos observar na matéria divulgada em


é isso aí.
Abraços
Xibaba

Um comentário:

Giovani disse...

Oi Daniel,

Acho que tua mensagem pega no ponto central da discussão: só é possível falar em liberdade de imprensa se houver liberdade de crítica à imprensa.
Li uma pequena matéria sobre o Frnaklin Martins hoje em que ele aponta isso.
Na verdade, a mídia brasileira (mas não só a nossa, é claro) adota a estratégia de se defender atirando.
Em qualquer situação de crítica a ela, a mídia usa do seu poder para tentar desqualificar quem a critica. As vezes, usando de argumentos; em outras, de terrorismo barato. Muito comum, aliás, em períodos eleitorais como esse.