quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Vale (?) a pena ver de novo: gastos públicos com grandes eventos

Gostei da brincadeira, e acho que acertei a postagem!

Aproveitando o embalo, trago para discussão aqui em nosso blog um tema que já estamos de certa forma acostumados a tratar, principalmente com a realização dos Jogos Pan-americanos Rio/2007 recentemente aqui no Brasil. Nosso livro já deve estar no "forno" e terá muita coisa lá pra falar e fazer pensar sobre este mesmo assunto...

Informação publicada no blog de José Cruz (Uol), em que ele trata do esporte sob a ótica da política e da economia, faz as seguintes considerações:

Copa 2014, começou a festa

A cinco anos da realização da Copa do Mundo, já se identificam agressões ao orçamento público de governos municipais das cidades sedes ao evento de 2014.
O primeiro caso de desrespeito à legislação ocorreu em Mato Grosso, que tem na capital, Cuiabá, uma das 12 sedes do Mundial. O governo do estado contratou, sem licitação, o projeto executivo para construir o estádio municipal.
Motivo da pressa: falta de tempo.
Custo da brincadeira: R$ 14 milhões.
Além disso, o governo contratou uma “consultoria técnica” de R$ 400 mil mensais, pagos também atropelando as normas legais, isto é, sem licitação.
A construção da nova praça de esportes está orçada em R$ 400 milhões.
As informações são do presidente do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso, Antônio Joaquim, hoje, em Brasília, em conversa com o deputado Silvio Torres.
“Vamos ver muito desses casos. Começa a se repetir para a Copa do Mundo o que ocorreu com a preparação do Rio de Janeiro para o Pan-americano de 2007. Mas vamos agir", prometeu Silvio Torres, que preside a Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara federal.


Rede de informações
Silvio Torres presidiu hoje a solenidade que criou uma rede para troca de informações entre os tribunais de contas das 12 cidades-sedes, os respectivos estados, o Tribunal de Contas da União e as comissões de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara e do Senado.
A convite, a ONG Contas Abertas prestará consultoria sem qualquer custo para o Legislativo.
O presidente do TCU, Ubiratan Aguiar, acredita que a ação preventiva chamará a atenção da população, que deverá se interessar em saber como está sendo gasto o dinheiro público.
Análise
O filme sobre a preparação do país para grande eventos já vimos e é um desastre pavoroso. O Pan-2007 é o exemplo mais triste neste sentido.
A rede de integração entre tribunais de contas, TCU e Legislativo é a novidade. Disposição para combater o abuso existe, ficou claro na reunião de hoje.
Mas só o tempo poderá mostrar a eficiência dessa iniciativa, porque do outro lado do campo de jogo está o poderoso time dos cartolas do futebol amparados por espertos políticos.


http://blogdocruz.blog.uol.com.br/arch2009-08-23_2009-08-29.html#2009_08-25_18_46_18-139474431-0

-------------------------------------------------------------------------------------------------
Salve-se quem puder!!! Com tantos escândalos nos altos escalões, e a necessidade de "fazer bonito", está aí uma bela oportunidade para que os corruptos consigam rechear suas contas. Está aí também, para nós professores de Educação Física, uma nova chance de levarmos tais temas e debates para nossas intervenções (ou interlocuções) pedagógicas.
-------------------------------------------------------------------------------------------------

5 comentários:

Giovani disse...

Muito bom, Cris, excelente postagem.
O blog do Cruz tem sido muito operante nesta fiscalização/denuncia do uso indevido e escandoloso de verbas publicas.
Continue atento e trazendo para cá esses ótimos temas para o debate.

André 40 disse...

Grande Postagem...

Inclusive hoje no pré-CONBRACE discutimos um pouco sobre essas questões exorbitantes de dinheiro público gasto no Pan Rio-2007 e as diversas promessas mentirosas transmitidas para a população do nosso país, tão carente de infra-estrutura na eduação, habitação, saúde, etc.

Enquanto isso, vemos passar bem diante dos nossos olhos o engodo e as falcatruas previsíveis do que virá pela frente com o "grandes eventos esportivos" em nosso país. Um país marcado e infelizmente manchado de corrupção...

Mas não estamos vendo a banda passar, pode ter certeza! A materialização do "nosso" livro a ser lançado no CONBRACE 2009 é a prova de que estamos sempre "observando", e indo além: publicando o que vemos para que possamos multiplicar cada conhecimento elaborado dentro dessa temática...

É isso!

quefrenweld disse...

Olá!

Apesar de interessante a charge, ainda não conseguimos estabelecer um papel para o esporte, e particularmente, do esporte de rendimento que dialogue com princípios de uma sociedade democrática e cidadã.

Onde estão as diferenças entre investir em esporte, moradia, saúde e educação? São ações tão distantes assim? Ainda, o problema da organização dos grandes eventos está no evento em si ou no modo de gerenciamento?

Grandes investimento em moradia, saúde e educação também não gerariam desvio de dinheiro público?

O combate deve se pautar numa luta contra os grandes eventos ou contra a corrupção?

Parece-me que estamos ainda com críticas fáceis cujos argumentos contra os grandes eventos são tirados dos mesmo programas que gostamos tanto de criticar como 'Globo Esporte' ou 'Esporte Espetacular': já que ambos apresentaram diversas reportagens sobre o desvio de verbas durante os Jogos Pan 2007.

Wanderley disse...

No meu blog (brejodaluz.worprres.com) estou clamando por uma discussão acerca dessa contradição entre os grandes eventos (2014 e agora 2016) e um país que está longe de resolver o basicão.
Não podemos perder essa oportunidade de aprofundar na sociedade esse debate.

Wanderley disse...

Desculpem, foi a pressa na digitação: È "brejodaluz.wordpress.com"