sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Nada mais oportuno que falar... sobre o Corinthians!

Pessoal que acompanha o blog!
Segue a segunda postagem da turma A da disciplina de "Esporte e Mídia", seguindo a estratégia de tornar o espaço do blog um espaço pedagógico e reflexivo sobre as "coisas" discutidas em aula e a nossa realidade.
O texto que segue é de autoria de Bruno Pinheiro Caldas, Robson dos Santos Rodrigues e Silvana Pinheiro.
Boa leitura e boas reflexões! Não deixem de comentar para aprofundar o debate!



Na disciplina “Esporte e mídia”, ministrada pelo professor Cristiano Mezzaroba existem diversas discussões nas aulas das segundas-feiras dentro do espaço “o que aconteceu na mídia?” aonde os alunos apresentam o que aconteceu de importante dentro do cenário esportivo durante a semana que se passou. Numa dessas discussões foi citado o caso do Corinthians e o contrato milionário assinado com a empresa de material esportiva NIKE. A partir daí decidimos investigar profundamente o caso, esperamos que vocês gostem das nossas informações e opiniões: vamos discutir e visualizar o que está acontecendo dentro do futebol brasileiro atualmente.
Entendam o caso: O Corinthians (atual campeão mundial de clubes) confirmou o novo contrato com a Nike até 2022 (dias antes da final do mundial de clubes). Os valores giram em torno de 300 milhões de reais por 10 temporadas (cerca de 30 milhões de reais por ano) além de lucros posteriores. O antigo vínculo do clube com a Nike (era válido até 2014) rendia 15 milhões de reais por ano. Esse contrato é um dos maiores do mundo já assinados de clubes com fornecedoras de material esportivo.
O momento atual do Corinthians começa a trazer bons frutos para o clube. Com um trabalho de marketing esportivo incrível e único, o clube se destaca no cenário nacional por suas contratações e pela quantidade de patrocinadores (e pelos valores dos contratos dos mesmos) existentes atualmente no clube, mas o clube não se dá como satisfeito nunca e sempre que pode apresenta surpresas para o mundo.
As contratações atingem níveis acima do normal no futebol brasileiro, e enquanto clubes devem milhões e fazem contratações modestas, o clube paulista esbanja dinheiro e contrata jogadores renomados na América ou até mesmo mundialmente. Após a contratação de Ronaldo “Fenômeno” há alguns anos atrás, o Corinthians pôs em prática uma nova gestão e uma nova visão sobre como obter receitas positivas produzindo um poder financeiro para o clube. Com instalações modernas, estrutura física em níveis satisfatórios e salários em dia, o Corinthians se tornou uma potência em um nível muito superior aos outros clubes brasileiros. Alguns clubes até chegam perto do nível atual do Corinthians, mas vamos entender o que diferencia o clube paulista dos demais clubes:
1. O Corinthians tem a maior torcida do Brasil. (Em diversas pesquisas existe uma divergência entre o Flamengo e o Corinthians em relação a isso, considerando muitas vezes até o empate);
2. Tem uma torcida que idolatra o clube, presente nos estádios em todo e qualquer jogo do clube, o que gera receitas;
3. Tem uma venda de seus produtos oficiais em um nível muito satisfatório para qualquer empresa de material esportivo e também para o próprio clube que lucra com cada venda;
4. Investe e inova em relação a outros esportes como a natação e o MMA, onde neste caso criou um centro de treinamento das artes marciais mistas do clube e contratou atletas como Anderson Silva e Júnior Cigano dos Santos, dois dos maiores lutadores da atualidade;
5. Tem patrocinadores sólidos e que estão “juntos” com o clube, com isso o dinheiro entra no clube com uma regularidade que facilita o trabalho da diretoria;
6. Está construindo um dos maiores estádios do Brasil, o “Itaquerão”, que está sendo construído com dinheiro público;
7. Tem jogadores de nível de Seleção Brasileira, e outros que se destacam dentro do cenário nacional;
8. É um dos clubes que mais lucra com as cotas televisivas no Brasil;
9. Está constantemente em destaque em todos os sites e canais esportivos, assim como na TV aberta.
          Além desses pontos que citamos, poderíamos falar muitos outros fazendo uma lista extensa ou, até, quem sabe, interminável.
          Queridos amigos leitores, estamos presenciando um momento inicial de POLARIZAÇÃO dentro do futebol brasileiro. Se os outros clubes não resolverem suas questões financeiras, daqui a uns anos vamos ter um campeonato com 3 a 4 clubes disputando um campeonato a parte, enquanto que os demais disputam posições em um nível mais similar. Alguém já imaginou a possibilidade de acontecer no Brasil o que acontece hoje na Espanha, onde o Real Madrid e o Barcelona dominam o cenário e logicamente os títulos do país? Bem...só nos resta esperar os próximos acontecimentos do futebol brasileiro.
          Vamos discutir e somar sobre esse tema tão importante! Forte abraço para todos vocês!

(A postagem é dos colegas, mas não poderia deixar de incluir, aqui, o que vi hoje, sobre a SPORTV estar reprisando a final do Mundial de Clubes 10 vezes nos últimos 3 dias, e isso se tornar assunto no twiter - confiram em: http://uolesportevetv.blogosfera.uol.com.br/2013/01/03/sportv-reprisa-final-do-mundial-dez-vezes-nos-ultimos-tres-dias-e-vira-assunto-no-twitter/)

21 comentários:

Tiago Brito disse...

POLÊMICAAAAAAA !!!
Primeiramente gostaria de parabenizar o grupo pelo excelente post e que aborda uma tendência que realmente é discutida, mesmo que ainda veladamente no meio midiático esportivo.
Contemplando os primeiros 3 itens numerados no texto, Penso que o Corinthians é um fenômeno que foge um pouco a explicação da razão. Pois é um clube que obteve um volumoso aumento de sua torcida mesmo na época do famoso "faz-me rir" onde o time passou 23 anos sem titulos e mesmo assim cresceu, contrariando a lógica, além de outros emblemáticos episódios como a INVASÃO CORINTHIANA de 1976 em uma semi de brasileiro no maracanã. Fenômenos esses que ao longo do tempo alimentaram uma alcunha de TIME DO POVO, discurso comprado e disseminado pelos veículos midiáticos e os profissionais da área de marketing do clube. Que lançam idéias como FIEL TORCIDA, "VAI CURINTIA !", BANDO DE LOUCOS, "AQUI É CURINTIA !", "SÓ A GENTE SABE O QUE É SER CORINTHIANS". Vejo nesses exemplos algo similar a alimentação do nacionalismo por parte de regimes militares, onde manipulam a mídia e bombardeiam os civis com seu discurso de NAÇÃO, seria a torcida corinthiana algo similar aos habitantes da CORÉIA DO NORTE ? rsrs...
Passando para os itens 4,5 e 6. Penso que por ser um clube com imensurável potencial econômico e nos últimos 5 anos esta sendo gerido com uma competência que vai de acordo com seu potencial, sendo agraciado por gestões responsáveis e profissionais, algo que não ainda não ocorreu na pseudo potência rubro-negra lá do Rio de Janeiro. O Corinthians esta se dando ao luxo de investir em esportes como o M.M.A que esta caindo no gosto e paixão dos brasileiros. Além disso o clube é agraciado por mimos construídos com rios de dinheiro publico, ganhando presentinhos como o ITAQUERÃO, ou seja tão oferecendo champagne a quem já come caviar.
Ja na área de ganhos com patrocínio em geral o mercado brasileiro vem sendo exemplo para outros países, e o Corinthians é um dos referencias, mas não o ùnico a tirar proveito disso no cenário brasileiro, exemplo recente é a assinatura do SÃO PAULO com uma fornecedora esportiva por 36 milhões.
Abordando aos últimos itens, ilustro com dados a idéia no explanada no item 8.

Tiago Brito disse...

a)Grupo 01 (Flamengo e Corinthians): 104 milhões de reais.

b) Grupo 02 (Vasco, Santos, Palmeiras e São Paulo): 70 milhões de reais.

c) Grupo 03 (Cruzeiro, Atlético Mineiro, Grêmio, Internacional, Fluminense e Botafogo): 58 milhões de reais.

d) Grupo 04 (Coritiba, Goiás, Portuguesa, Guarani, Sport, Vitória, Bahia, Atlético Paranaense):33 milhões de reais.

Ora essa, mais nada justo de que as maiores torcidas, que geram mais ibope e lucro para a mídia ganhar mais ? OK !
Nada contra, mas aponto que esses números comparados a divisão de cotas de ligas como a ESPANHOLA possuem disparidades muito menores. O que diminui a chance da tão falada POLARIDADE, pelo menos entre os grandes clubes brasileiros.

Pois o BRASIL por ser um pais de dimensões continentais, possuem N clubes tradicionais e simpáticos que caíram no ostracismo devido a selva capitalista que se tornou o futebol. Talvez o funil do futebol brasileiro já esteja em funcionamento... Não seria isso um tipo de POLARIDADE que nem se damos conta ?

Em suma só pra concluir rsrs, O futebol Brasileiro é um cenário muito competitivo e comprovadamente cíclico. Com equipes que dominaram o cenário por uma ou duas décadas... gerando uma tal soberania, são paulinos conhecem bem essa história. E na época existia quem falasse... Este time nunca sairá do topo... Eis que vivia recentemente a realidade de 4 anos sem titulo. Ou seja a margem de erro do futebol brasileiro é pequena e qualquer erro de planejamento pode significar anos sem titulo ou soberania. Mesmo os mais afortunados como o CORINTHIANS. acredito que com o passar do tempo a margem de erro se torne mais confortável para as potencias... Mas ela sempre vai existir a ponto de impedir que se crave a palavra POLARIDADE. lembrando que essa para mim ja existiu e não percebemos rsrs.
Texto bom de comentar viu rsrs, abraços a todos !!!

Juliana Nunes disse...

"Confirmado ontem a maior contratação do corinthias, ou melhor, a maior do futebol brasileiro, Alexandre Pato, superando a negociação de Tevez, o corinthias pagará ao AC cerca 40,5 milhões de reais.
Dos cinco atletas mais caros já contratados para jogar no futebol brasileiro até hoje, quatro foram negociados para jogar no Corinthians".
Parabéns ao grupo pela reportagem!

Bruno Pinheiro disse...

Então gente, o intuito desse texto é justamente esse, que as múltiplas opiniões surjam e enriqueçam os temas que estão presentes dentro do futebol brasileiro e mundial!Em relação ao comentário do Tiago, concordo com as definições dadas a POLARIDADE existente dentro do futebol brasileiro e ressalto que o nível da polarização do futebol brasileiro pode sim atingir níveis mais alarmantes, superando até mesmo o certo "domínio" do São Paulo que existiu nas décadas passadas.Bem, vamos ver o que acontece nos anos posteriores e ver o que vai se concretizar ou não dentro do futebol nacional.

Evandro Santos de Melo disse...

Em primeiro lugar parabenizo o grupo pela postagem e tema abordado, em segundo lugar, parabenizo os comentários feito até este momento que indicam conhecimento dos mesmos sobre o tema, enfim, levando em consideração o que foi dito pelo colega Tiago Brito onde o mesmo faz referência a ditadura militar e o Corinthians, podemos observar que os discursos se aproximam, pois, os mesmo tratam de uma "paixão a uma nação" dadas as proporções e objetivos de cada um dos casos.
O que acontece no Brasil em relação a alguns clubes vai muito além do "mundo do futebol", envolve também a politica, a mídia, ou seja, vários pilares sociais que se confirma quando observamos que a pouco tempo atrás tivemos o ex-presidente do Corinthians como diretor de seleções outro caso que confirma o que foi dito é que o próprio Andrés Sánchez ( ex-presidente do Corinthians) encabeçou o fim do clube dos 13 e hoje em dia o Corinthians é um dos clubes que mais lucram com venda de direitos televisivos, a pouco tempo também como já citado temos o Corinthians construindo um estádio com dinheiro público, enfim, vários outros exemplos comprovam a relação de clubes com os setores sociais, (ressalto aqui que não estou afirmando que o Corinthians é, foi ou está sendo beneficiado pelo poder publico, no entanto o poder da instituição Corinthians faz com que o poder publico olhe para este e invista o que de certa forma faz com que o clube cresça).
Em contra partida ao crescimento do Corinthians, temos o outro lado da moeda que são os clubes que mesmo com uma torcida considerável não conseguem nem de perto obter o sucesso que o clube paulista alcançou, podemos relatar o caso do Vasco da Gana, que teve seu fornecimento de água cancelado por falta de pagamento no ano de 2012 em pleno andamento do campeonato, ou seja nem tudo no futebol brasileiro são flores, mas com trabalho, planejamento e gestão os clubes podem se reestruturar e quem sabe um dia ser " a bola da vez" .

João Filipe disse...

Venho parabenizar ao grupo pelo bom texto que aborda várias questões a cerca do futebol nacional e mais especificamente ao corinthians e seu atual poder de marketing que vem "revolucionando" o cenário atual dos times brasileiros.

Começo falando sobre a tão falada POLARIZAÇÃO do futebol, que em muitos países está muito presente e que no futebol brasileiro também está organizada com outros moldes levando em consideração a países como Espanha, Itália, Inglaterra e outros. No futebol brasileiro a décadas existe um monopólio por parte dos times do sul e sudeste comprovado a partir dos títulos, poder econômico e tamanho de torcida e esse monopólio fica mais evidente quando podemos ver as cotas televisivas que contempla o "times grandes" deixando de lado a maioria dos times do futebol nacional com pouca visibilidade, visibilidade essa que só ocorre quando há confrontos com os "maiores" do futebol. Tendo isso como base entendo que é muito difícil, na minha opinião impossível, que 2 a 4 times brasileiros possam assumir o status de únicos do país a serem campeões e brigarem por títulos e consequentemente por patrocínios, diferente do que ocorre na Espanha por exemplo que tem o campeonato monopolizado por apenas duas equipes tendo como sombra um ou outro clube mas sem chegar perto de quebrar esse monopólio.

Agora trazendo para o lado da política como já foi citado anteriormente aqui, é evidente que ela está presenta na des-organização de alguns clubes que por sua vez acaba beneficiando algumas pessoas trazendo algum tipo de acensão midiática que contribui para futuras candidaturas a cargos de grande poder no cenário esportivo e político fazendo com que haja uma relação de duas vias onde ambos se beneficiam de alguma forma, tenho alguns exemplos como o da ex-presidente do Flamengo que enquanto dirigia o clube foi eleita vereadora e o mais nítido e famoso é do ex-presidente do corinthians Andrés Sanchez que contribuio para que o clube voltasse a ser vencedor depois de um "trágico" rebaixamento, digo que esse caso foi o mais famoso e até o mais importante porque hoje podemos ver que ambos estão faturando alto com o início dessa relação entre presidente político e clube, o ex-presidente virou diretor de seleções,ajudou a derrubar o antigo clube dos 13 e hoje lidera uma frente para se candidatar a presidência da CBF instituição detentora da organização do futebol brasileiro, o clube por sua vez está ganhando de "presente" um grande estádio de futebol, é patrocinado pela CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, patrocínio da NIKE (abordado no texto)e até conseguio títulos que por mais de 100 anos buscou e não conseguio alcansá-los anteriormente e agora se vangloria (diga-se de passagem com louvor)o campeão do mundo.

Pra finalizar creio que esses fenômenos do futebol nacional ocorrem porque política, mídia e sociedade, cada uma a sua maneira, tem o poder de modificar e interferir no andamento do esporte, hoje o corinthians é a "bola da vez" como outros times já foram, por isso não creio em um monopólio duradouro por um único clube nesse caso o corinthians.

No mais é parabenizar a todos, porque é um texto que abri vários questões e gera opiniões distintas trazendo um debate muito interessante.

Eduardo Carvalho disse...

Olá! Primeiramente quero aqui cumprimentar a todos, aproveitando também para parabenizar o grupo pelas informações trazidas nessa postagem. Ficou muito legal!!!
Com relação às discussões que já temos até aqui, tenho somente a agradecer aos meus companheiros de jornada nessa “árdua” formação acadêmica. Confesso que nunca fui um torcedor amante do futebol, por isso, a maioria das informações que vocês trouxeram aqui estar me ajudando muito a compreender algumas das histórias que a mim passaram-se despercebidas. Bom, agora vou expor alguns questionamentos particulares sobre o que temos até então nos comentários.
Nessa discussão o que me chamou mais atenção foi a relação polarização, “sociedade esportiva europeia” e “sociedade esportiva brasileira”. Entendo que o futebol possui uma estreita relação com a política e com a mídia, o que faz desse um produto de negociação entre essas instituições sociais. Porém, o que me incomoda em tal discussão é que estou percebendo uma certa comparação do que ocorre no Brasil (Algo cómico) ao que ocorre na Europa, em relação ao futebol. Confesso que sou leigo na questão e por isso, não posso dizer que compreendo o processo de formação da sociedade europeia em especifico, a formação da nação espanhola e seu investimento no futebol. Dessa forma, não posso afirmar que “Rios de dinheiros”, são investidos pelo poder público em apenas dois times e não posso dizer também, que deve haver uma intervenção com relação a isso para equalizar as diferenças entre os times europeus. Cada sociedade tem seu processo de formação não posso dizer que o que ocorreu e ocorre no Brasil, ocorre em todos os países... Assim, penso que no Brasil (País da corrupção como orgulho nacional!), esses favorecimentos ocorrem, afinal de contas vivemos em um país em que o discurso prevalece sobre as ações objetivas e efetivas no contexto social. Tudo aqui é melhor!? Mas melhor ainda é o discurso reforçado de que somos os melhores, vivemos em um país tropical, abençoado por Deus??? E bonito por natureza (kkk).
Estou apenas olhando de um ponto de vista que não enxerga a política europeia, as questões dos favorecimentos midiáticos que “ocorrem” lá, desconheço. Espero que tenham entendido o que quero dizer sobre a tão falada POLARIZAÇÃO, pelo menos na questão de política nacional e de investimento... Não sei no caso do Brasil, mas será que toda vez que uma equipe em qualquer modalidade se organizar e investir em sua melhora, isso se tratará de um problema social e/ou político que deverá ser corrigido tentando chegar a uma pouco provável equidade clubistica?

Plínio Passos disse...

Oi pessoal! Passando para parabenizar o grupo pela postagem e comentários associados a mesma. E dizer o quanto foi legal cursar a disciplina, aproveitem e continuem nesse ritmo de postagens! Abraços! Parabéns a todos!
Plínio Passos :)

Artur Alves disse...

Deveria nem Parabenizar o grupo, falar de "CURINTIANS" além do mais você Robson...rsrsrs...Mesmo assim parabéns pessoal!

Eu mesmo sou um leigo em Futebol, de mercado ainda entendo, mas pelo que já foi dito pelos outros colegas até agora nem tenho o que debater.

Então, abraço!

Evandro Santos de Melo disse...

Acaba de ser publicado no site da Yahoo que o Corinthians nessa temporada está invertimento mais que alguns time da Europa, a manchete diz o seguinte: com 32 milhões de euros gastos em contratações nos últimos meses, "timão"( como é cariosamente chamado por sua torcida o time do Corinthians)investiu mais que alguns grandes da Europa.
ou seja percebe-se que o clube não quer perder esse "domínio" que alcançou nessa temporada. Será que isso indica que o clube pode está em um caminho de polarização do futebol brasileiro? será que o clube ira manter esse nível de contratações ? são questões essas que só o tempo e as temporadas que seguem vão nos dar respostas ou não !segue o debate !

Anônimo disse...

Eitaaa, dessa vez o texto mexeu mesmo com os discursos da galera, muito bom... PARABÉNS A TODOS, afinal, do texto aos comentários as questões debatidas ficam cada vez mais claras e oportunizando cada vez mais aquelas pessoas que embora não gostem ou não tenham tempo de assistir os espetáculos das competições de futebol (ainda que em muitos programas e sites apareçam questoes relacionadas aos espaetáculos), mas se interessam em saber o que acontece por trás das cortinas desse grande espetáculo... Por isso, fico contente em ver esse descortinamento feito por esse grupo. Essas questões relativas a mídia, a política, a cultura, e outros fatores que se misturam aos aspectos esportivos podem ampliar e transfromar a prática dos professores de Educação Física, cosequentemente ampliando e transformando o processo de uma aprendizagem cada vez mais crítica e reflexiva sobre os conhecimentos que a Educação Física pode e deve tratar. Por isso, além de agradecer pela postagem gostaria de atentá-los para a possibilidade desse mesmo discurso ser aplicado nas aulas e não ficar somente em torno de nossas opiniões sobre o que está acontecendo aqui ou ali com os clubes de futebol.Valeu msm pela postagem.

Vinicius Santos disse...

Primeiramente gostaria de parabenizar o grupo pela bela postagem e também pelo tema nela abordado. Gostaria de parabenizar também todos os comentários e esse belo debate até aqui ocorrido e o qual acredito que só tende a crescer até pelo que venho vendo aqui.
E é esse o destaque gostaria de dar ao meu comentário, pois lendo os comentários acima, percebi que sigo de acordo com algumas ideias, assim como discordo totalmente de outras (mas é justamente essa a intenção do debate, expor as nossas opiniões). Algumas das ideias aqui abordas das quais concordo seria a de que dificilmente no futebol brasileiro chegará a ocorrer uma monopolização do futebol como foi citado no texto exemplo do futebol espanhol, mas em contra partida sempre critiquei comentários bastante ‘patrióticos” de que no campeonato brasileiro “todos tem chances de ser campeão”, onde na verdade como já citado em comentários anteriores, as chances de títulos ficam entre os clubes pertencem as regiões Sul e Sudeste, e para quem quiser ser mais critico ainda podemos dizer aos clubes que pertencem ao eixo Rio-São Paulo, para aqueles que discordam eu compreendo, mas basta olhar o ultimo campeão brasileiro que não pertenceu a clubes desses dois estados...esse ano completará 10 anos desse ocorrido (título do Cruzeiro em 2003)...ou então somar todos os títulos brasileiros dos clubes que não pertencem a nenhum desses dois estados e vocês verão a diferença ALARMANTE nos números de títulos.
Ai basta pararmos e nos perguntarmos. E os maiores patrocínios fornecidos a clubes??? Maiores valores atribuídos a cotas televisivas??? Maiores contratações feitas?? (em valores)...A todas essas perguntas basta olhar dados como os relatados no comentário de nosso amigo Tiago e verão que as respostas também serão os clubes do RJ e de SP. E como já dito por muitos aqui o “time da vez” é o Corinthians, assim como a pouco tempo foi o São Paulo e a fase passou, teve o Santos até ano passado vinha ganhando em media dois títulos por ano, agora é o Corinthians e como não foge a regra...PASSARÁ...não se preocupem! rsrsrs
Então o que estou tentando relatar aqui é que todos esses fatores, política, mídia, investimentos públicos, esporte (nesse caso aqui o futebol) é um assunto que exige bastante tempo, atenção, pois se trata de tema que gera uma “bola de neve”, ou seja, um fator vai puxando o outro, fatores esses que muitas vezes sem percebermos acabam sendo alavancados por cada um de nós.

Tammy Rocha disse...

Mais uma boa escolha e um bom texto elaborado e discutido aqui. Por isso, Parabenizo tanto aos que escreveram o texto como também aos comentários aqui explanados, trazendo mais informações e questões a serem discutidas. Em relação à questão levantada, assim como alguns comentários, não acredito que essa “fase de ouro” que o Corinthians atualmente passa seja algo duradouro, pois primeiramente estamos falando de futebol, jogo, onde tudo pode acontecer e mudar de uma hora pra outra, “no piscar de olhos”. Ainda mais, quando falamos do futebol mercadorização e espetacularização, uma relação de negócios, troca de favores, onde são formadas parcerias a todo o momento, um ciclo instável e imprevisível. Sendo assim, acredito que não chegue a existir essa monopolização de alguns times brasileiros, pelo menos torço, pois assim, o futebol pelo menos em minha opinião não teria tanta graça ou emoção de ser acompanhado, pelo fato de só alguns clubes ganharem, onde os resultados já poderiam ser previstos. Deixando claro, que apesar desse monopólio sempre acontece as ditas “zebras” no futebol, como também os lances indiscutíveis dos jogadores. Trago e percebo também, essa ascensão do Corinthians pelo fator positivo como foi divulgado na mídia, que o campeonato Brasileiro foi o segundo melhor campeonato do mundo no ano de 2012, de acordo com a IFFHS (Federação Internacional de História e Estatística de Futebol), uma conquista graças aos títulos conseguidos pelo Corinthians, primordialmente pelo Mundial.
http://globoesporte.globo.com/futebol/futebol-internacional/noticia/2013/01/titulo-do-corinthians-ajuda-brasileirao-ser-o-2-melhor-torneio-do-mundo.html
Portanto, vejo essa ascensão do Corinthians, como fator de valorização do nosso futebol brasileiro, claro que muitos podem pensar, há, mas colocar o campeonato brasileiro em segundo lugar está errado, pois assim, está escondendo inúmeros problemas, precariedades, a realidade que vive o futebol nacional, mas quem disse que o futebol espanhol, italiano, alemão, inglês também não tem problemas ou vive por situações similares?

Jéssica Del' Neves Santos Gomes disse...

De fato nos últimos tempos o Corinthians vem fazendo acordos e contratações milionárias que fogem dos padrões do futebol brasileiro. Isso acontece devido a uma nova gestão capaz de produzir um alto poder financeiro para o clube. Porém lembramos: o que era o Corinthians há dez anos atrás? Um time “meeiro” incapaz de conquistar títulos expressivos. Mas, coincidentemente com a chegada de um presidente da República corintiano ao poder, o clube passa a crescer. Pois é, nem só de gestores competentes sobrevive um time de futebol. Por que o Santa Cruz/PE não é um dos grandes no cenário nacional do nosso futebol já que apresenta a melhor média de público em jogos mesmo sendo da série C? Por que o Flamengo/RJ, time de maior torcida do Brasil não tem seu próprio estádio? A resposta é simples: Não só a falta de gestores competentes mas nunca existiu um presidente da República “loco” com a capacidade de investir dinheiro público para o beneficio de particulares, que vestisse a camisa de um dos dois times. E mais esse sentimento nacionalista assusta: “Vai Curinthians”. Estão se formando um bando de “locos” alienados que tem dificuldades para pensar a realidade que vivemos, assim como ocorreu nos grandes regimes autoritários.

Beatrice Wanders disse...

Em primeiro momento quero parabenizar o grupo pelo texto muito bem elaborado. Quero agradecer aos colegas pelos comentários expostos. A maior prova de que o Corinthians está se tornando um time internacional está na “língua”. Grandes foram às contratações internacionais feitas pelo time. Outro ponto de destaque é a ascensão do “timão” após Lula assumir o poder da presidência. É visto que existe um elo entre o futebol e “os políticos”, como já foi exposto em alguns comentários. Mas após o nosso presidente, Lula, assumir o Corinthians passou a ter um patrocinador oficial, passando a fazer altos investimentos no time, pois foi Lula quem esteve no centro de uma bem alinhavada trama que envolveu o PT (Lula, propriamente, mas sobretudo Andrés Sanches), Globo (o Corínthians e o mais alto contrato por direitos de transmissão), CBF (Ricardo Teixeira), FIFA (Copa 2014 no Brasil) dentre outros (patrocinadores, empreiteiras, cervejarias, outros grupos políticos – o Itaquerão, à boca pequena, foi chamado de “Lulão”).

Jussara Gonçalvrs disse...

Parabéns ao grupo!
Realmente vendo por esse cenário, o campeonato brasileiro pode se tornar um campeonato de poucos. E o nosso futebol "o da competição" o que leva a torcida aos estágios se tornara algo comum, sem atrativo.
Acho importante que o futebol seja valorizado, competitivo, mas não concordo quando isso se torna algo obsessivo, pois no final alguém sai perdendo, seja os torcerdores ou os clubes. Seria legal se o futebol fosse jogado pelo amor a camisa e não por amor ao dinheiro, no entanto, os empresários viram nisso uma boa forma de negocio e publicidade, tornando a cultura do futebol em produto-indústria cultural.
O Corinthians sobre aproveitar o amor da sua grande torcida para transformar-se em uma grande marca, fazendo com que os empresários vissem nele um bom meio de investimento. Por isso no momento ele está entre os maiores clubes do mundo, cabem as pessoas a analisar e ver se esta "cultura" está indo por um caminho certo.

Álax disse...

Olá gostaria de parabenizar o grupo pela publicação, deve ter Corintianos aí né? Mas acho que isso tudo se deve ao momento em que esse grande clube brasileiro se encontra, foi campeão da libertadores e do mundial de clubes, atualmente conta com patrocínio da CAIXA um banco FEDERAL, tem um estadio que é construído com o dinheiro de todos e ainda conta com uma equipe de profissionais que levantam a renda do clube, mas vale lembrar que é bom aproveitar esse momento, que possa se consolidar por que se vocês voltarem um pouco no tempo o Corinthians estava na segunda divisão. Ainda não vejo o Brasil Próximo das ligas europeias ainda falta muita coisa pra isso acontecer...

Victor Rolemberg França disse...

Em primeiro lugar, parabéns ao grupo pelo texto.

Concordo com quase tudo que os colegas relataram no texto. Sou corintiano, mas não acho que o clube tenha a maior torcida do país, ainda acredito que seja o Flamengo. Mas voltando ao assunto principal, realmente no caminho que o barco está andando, o futebol brasileiro pode seguir a linha dos campeonatos europeus, e se tornar um campeonato onde poucos times disputam o título.
Tudo isso mudou para o Corinthians depois da queda para a Série B e com a contratação de Ronaldo (que foi um divisor de águas). Foi ali que o Andrés Sanches decidiu mudar todo o estatuto do clube, e transformar o time em uma potência, com estratégias de marketing inovadoras e agressivas, contratações certas e uma política interna eficiente.

Claramente existe um Corinthians pré-Ronaldo e um Corinthians pós-Ronaldo. E o time andas a passos largos para se tornar uma das grandes potências do futebol nacional, junto com Fluminense,Santos e talvez mais um terceiro time.

É esperar para ver.

Erick Tompson dos Santos disse...

saindo do futebol, na NBA a alguns meses houve uma greve referente a salarios, onde os donos dos clubes queriam fazer uma redução nos salarios dos atletas alegando estarem passando dificuldades financeiras, porém estas foram criadas por eles mesmos, fazendo contratações muitos caras, como tambem os custos de manutenção dos ginasios dentre outros fatores.
com isso a liga permitiu que os clubes coloquem patrocinio nos uniformes...

Suely Moura disse...

Primeiramente gostaria de parabenizar o grupo pelo texto elaborado, assim como o tema exposto. Considero de grande importância à postagem, já que demonstra literalmente o que acontece por trás do cenário do futebol brasileiro, assim, quando vemos as competições dos campeonatos de futebol, cujo estas geralmente acontecem aos domingos, claramente não observamos quantas transações acontecem por detrás daquela inocente partida de futebol. Porém se observamos profundamente aos detalhes acontecidos nela atreladas às reportagens como essa do Corinthians é possível notar de maneira mais imediata.

É também bastante interessante observar como as empresas fornecedoras de material esportivo como a Nike, se apropriam da imagem de um time (Corinthians), o qual no momento atual estava colhendo bons frutos do seu desempenho nas competições. Sendo assim, vinculando sua mercadoria a imagem deste time visando somente altos lucros, ou seja, a venda de seus produtos. Nessa relação tanto o time ganha como foi exposto no texto como a empresa, “troca perfeita” não acham? Além das contratações de jogadores com um alto custo. A partir dessa realidade é que devemos direcionar nossos olhares para essas questões inerentes aos aspectos esportivos, principalmente a respeito da espetacularização do futebol, assim, podendo ampliar, apurar e transformar nossa criticidade e reflexão acerca de um dos conhecimentos da educação física, o qual é o esporte.

Pablo Rocha Nog. disse...

Parabenizar o grupo pela postagem e pela pesquisa realizada pelos mesmos para se dar base a questão final do post e dizer que realmente é impossível negar a organização do Corinthians e sua predominância no campo esportivo em principal nas modalidades que estão em super alta no país, que são o Futebol e o UFC. Certamente se continuar o campo do futebol do jeito que esta no momento realmente o campo de marketing e o domínio no mercado de jogadores será do Corinthians. Mas estamos muito longe ainda de nos encontrarmos na mesma questão da Espanha onde Real e Barça dominam as principais competições, mas aqui no Brasil qual seria o clube mais próximo de obter tal organização para se equiparar com o Corinthians, e a situação dele é muito recente para se dizer que estamos entrando numa hegemonia corintiana.