quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Está no UOL: Espanha proíbe anúncios que exaltem 'culto ao corpo'

Olhem só que interessante! Vamos discutir?

"O Parlamento da Espanha aprovou, nesta quinta-feira, uma lei que proíbe a exibição na TV de anúncios que ´exaltem o culto ao corpo` das 6h às 22h."

Texto completo em http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/ultnot/bbc/2010/01/07/espanha-proibe-anuncios-que-exaltem-culto-ao-corpo.jhtm

3 comentários:

Diego S. Mendes disse...

Gio, muitíssimo interessante a matéria. Vale a pena mesmo algumas reflexões. Me surpeende a proposta, está na contra-maré de tudo o que os meios publicitário imaginam. Mais interessante ainda, o projeto ter o apoio de algumas organizações civís, como uma tal associação de pais e alunos, ou coisa parecida. Minha tristeza, no entanto, é sentir (espero que equivocadamente) que ainda estamos muito distantes da espanha. Como dizia Gilber Gil, o Haití é aqui. Nossos governantes estão preocupado demais com seus latifundios para pensar numa comunicação mais séria para nosso povo. E o povo, ainda esta muito distante do exercício de uma cidadania que não seja concedida.
Um mundo sem exteriótipos físicos na mídia...nem dá mais pra dizer que é utopia!!! Que demais!!!!

Diego S. Mendes disse...

Gente, o "exteriótipo" acima, foi pura distração, confesso. Mas não é que poderia ser ex-tereópito mesmo...heheheh

Ricardo disse...

É uma atitude bacana do Parlamento da Espanha em aprovar essa lei. Uma evolução ou mais um jogo de interesses dos grupos midiáticos inseridos no contexto do Parlamento Espanhol? Quais seriam as estratégias dos conglomerados midiáticos para continuar a propagação de pressupostos que permitam a manutenção e perpetuação da lógica de mercado? Talvez, com essa aprovação a lei permita a diminuir os discursos midiáticos acerca das concepções voltadas a instrumentalização do corpo. Ou talvez, oferece uma estratégia massiva de enfatização desta perspectiva - do corpo somente como meio - de forma indireta. Não pesquisei a realidade da impressa espanhola , mas uma programação midiática de boa qualidade no contexto nacional pode-se apoiar nessa atitude internacional. Muito legal esse artigo - um alvo para diversas discussões e para diversas áreas de conhecimento.