sábado, 2 de março de 2013

Jogo das estrelas do NBB: (trans)formação de um espetáculo...

Colegas do blog,
Publicamos mais um texto dos acadêmicos que estão cursando a disciplina de "Educação Física, Esporte Mídia" aqui na UFS. Desta vez, os autores são Erick Thompson e Pablo Rocha, trazendo o debate para essa tentativa de tornar o basquete uma modalidade mais praticada e comentada no país.
Segue! Aguardamos os comentários!


JOGO DAS ESTRELAS DO NBB: (trans) formação de um espetáculo...

O Novo Basquete Brasil (NBB) é a reformulação do Campeonato Brasileiro de Basquete e vem se destacando nesta modalidade esportiva, com as contratações, o comparecimento do público aos jogos, a disputa entre os clubes participantes. Porém, ainda não tem uma divulgação mais ampla, isto é, a sua transmissão ainda está restrita ao canal fechado SPORTV (ligada ao Grupo Globo) que apresenta alguns jogos durante a semana e também nos finais de semana. No entanto, a Rede Globo, canal aberto, não transmite os jogos do campeonato em si, apesar de veicular reportagens em sua programação esportiva (como no Globo Esporte e no Esporte Espetacular, entre outros).
O Jogo das Estrelas do NBB é um jogo espetáculo inspirado no All-Star Game da NBA em vários aspectos, desde a participação do público na escolha dos atletas que formarão os dois times – NBB Brasil (jogadores brasileiros) e NBB Mundo (jogadores estrangeiros que atuam no Brasil) – até os quatro eventos que são:
·       Desafio de Habilidades, em que o jogador deverá passar por um percurso de 4 estágios no menor tempo possível;
·       Torneio de 3 pontos: cada atleta arremessa 25 bolas num tempo de 60 segundos;
·       Torneio de Enterradas: cada atleta tem que realizar duas enterradas, sendo que uma em estilo livre e outra com a participação de um ou mais jogadores;
·       Jogo das Estrelas que é o evento principal.
O basquete não é um dos esportes preferidos para serem transmitidos, pelo fato de não ter um tempo certo para término do jogo e isso pode atrapalhar a programação das emissoras. Porém, para a transmissão do evento principal, o Jogo das Estrelas, a Rede Globo abrirá um espaço na sua programação para transmitir este evento. No entanto, a transmissão das demais partes do evento ficará restrita a SPORTV.
Contudo, é explicito que o NBB vem obtendo uma boa repercussão dos seus jogos, os quais, em sua maioria, o público vem comparecendo em massa.
Percebe-se que a Rede Globo vem tentando fazer com que o NBB alcance um patamar maior de divulgação dos atletas brasileiros e estrangeiros que jogam no Brasil, assim como a liga norte-americana faz nos EUA. Porém, a apresentação em TV aberta do espetáculo que é o Jogo das Estrelas, pode proporcionar o aumento de pessoas interessadas em saber sobre os jogos, os atletas e, dessa forma, poder fazer com que alguns de seus jogos passem a ser transmitidos em TV aberta.
Será que tem como o basquete brasileiro atingir um nível de divulgação na mídia nacional, tal como o vôlei atingiu, e por consequência influenciar o aumento do número de interessados em praticar esse esporte, nas aulas de EF e como lazer?

11 comentários:

Evandro Santos de Melo Bomfim disse...

Em primeiro lugar parabenizar o grupo. É notório o crescimento do NBB nos últimos 5 anos no entanto vejo que para alcançar o nível do vôlei o basquete teria que aderir a mudanças que no vôlei ocorreram e, em minha humilde opinião isso seria algo pouco provável ( neste momento), basta lembrar que o vôlei era um jogo cansativo de se assistir visto o longo tempo que durava uma partida e pensar como hoje o vôlei É DISPUTADO, os grandes patrocinadores ( bancos, emissora) que hoje cercam o vôlei. Por isso acredito que havendo interesse da mídia a cultura do basquete pode sim alcançar índices superiores ao vôlei.

Marcos B. Almeida disse...

Belo texto! Parabéns ao grupo!

O basquetebol brasileiro precisa ainda aprender muito com o voleibol, mas penso que estamos hoje numa situação muito melhor do que há uma década atrás. É preciso dar um passo de cada vez. Espero poder todo este empenho se tornar uma constante também regionalmente.

Forte abraço a todos

Gabriel Dantas disse...

Parabéns ao grupo pelo texto!
Eu acredito que nas escolas o basquetebol já é bem praticado. Na verdade, é possível notar o desporto coletivo, de uma forma geral, crescendo nas escolas.
Eu penso que o fato de o NBB não alcançar um nível de divulgação nos canais abertos, tenha relação com o contexto histórico-cultural. Em outras palavras, num país no qual se acompanhou várias copas de futebol e se idolatrou ícones como Pelé, Garrincha e Sócrates, torna-se evidente a paixão exarcebada pelo futebol. Daí o baixo nível de divulgação do NBB em canais abertos.

Artur Alves disse...

Primeiramente, Parabéns a dupla pelas considerações trazidas nos texto...
E gostaria de falar que fiquei intrigado com adendo de "o Basquete não ser transmitido na tv aberta, por conta do termino não preciso". A meu ver esse não é o maior agravante da não transmissão, pois todos e qualquer esporte não haverá tempo estipulado preciso de termino. Para tanto existe faltas, o clima, contusões e etc, que modificam o seu fim.

E respondendo a pergunta da dupla, me imponho que SIM, tenho claro que qualquer esporte pode chegar onde o Vôlei chegou, mas para tal fato principalmente nós professores de EF, devemos educar nosso alunos que a mídia não é apenas uma alienadora, mas também uma transmissora de conteúdo e que nós devemos selecionar o que é importante e o que não é. (plantar uma semente da discórdia)

Silvan Menezes disse...

Os parabéns ao Cris e a turma podem até se tornar um clichê nessas postagens da disciplina, mas não me canso de dizer: muito bom! A diversidade de temas, de debates e discussões com olhares diferenciados trouxe uma dinâmica muito boa para o blog, coisa que não tinhamos há tempos por aqui.
Sobre o basquete... ahhh o basquete! Os níveis de espaço na TV dependem de uma série de fatores estritamente comerciais e mercadológicos, alguns exemplos: adequação a grade de programação televisiva; clubes(marcas) e atletas(ídolos) com forte identificação social a ponto de atrair grandes audiências; como consequência do segundo, atrair grandes patrocinadores para a liga.
Indiquei apenas 3 fatores no meio de tantos que impedem da modalidade adentrar com mais força no cenário midiático nacional.
Mas... seguimos observando e pensando.
Abraço

Beatrice Wanders disse...

Em primeiro lugar quero parabenizar Erick e Pablo pelo texto e a temática trazida pelos dois. É notório que o basquete passou e passa por uma evolução significativa, e assim como os demias esporte chega com o status de espetáculo. Mas quero deixar claro que o basquete ainda é um esporte pouco divulgado na TV Aberta no Brasil, assim como o Handebol e vários outros esportes. Sabemos que é a mídia tem hoje um papel de transmissão de “conhecimentos” para os telespectadores, os quais aprendem, organiza e interpreta as suas impressões e adquirem as atitudes relacionadas a prática da modalidade em questão. Portanto, acho sim que o basquete, assim como os demais esportes, pode adquirir um status como o do vôlei, assim citado pelos colegas. Agora, cabe a nós professores de Educação Física o encargo de educar nossos alunos para uma visão mais crítica e reflexiva, proporcionando uma percepção de conhecimento mais amplo, e menos alienado.

Jéssica Del' Neves Santos Gomes disse...

É notório a evolução do NBB que passa a ter sucesso por conta das semelhanças com a NBA, espetáculo garantido nos Estados Unidos.
As mudanças ocorridas no basquete brasileiro vem surtindo efeito, pois o público esta comparecendo e prestigiando os seus jogos. A competição também vem atraindo grandes atletas brasileiros e estrangeiros, contribuindo para um brilho ainda mais intenso ao campeonato. Mas, para esse sucesso se consagrar de uma vez por todas e gerar uma renda ainda maior, é necessário que o campeonato tenha transmissão aberta para o grande público. Porém, por se tratar de um esporte pouco praticado (comparado ao futebol e ao vôlei), a audiência talvez ainda não seja garantida, consequentemente as emissoras de TVs abertas dificilmente transmitirão os jogos.

Suely Moura disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Suely Moura disse...

Primeiramente gostaria de parabenizar a dupla pelo texto e as informações inerentes a ele. Como muitos já falarão aqui o basquete é um esporte que vem crescendo muito ao longo do tempo, porém é uma modalidade pouco transmitida na tv aberta no Brasil, assim também acontece com outros esportes, o handebol como Beatrice citou é um deles. Para o basquete se desenvolver cada vez mais, atingir um nível de divulgação maior na tv aberta e dessa forma atrair novos adeptos para sua prática, deveria se adequar as normas de transmissão das emissoras, além de começar a ser mais trabalhado e divulgado na educação física escolar.
Evidentemente a mídia influência muito na vida que cada um temos, o que assistimos, já que a mesma de certa forma educa para o bem ou não. Então o basquete por ser um esporte menos transmitido nos meios midiáticos não possui um interesse maior por parte das pessoas em assistir comparado ao vôlei e futebol. Esta modalidade só irá possuir audiência dos telespectadores quando houver uma divulgação maior da mídia e de outros meios, não se restringindo apenas a transmitir notícias, mas também jogos e campeonatos, etc.

Flavio Sena disse...

Quero em primeiro momento dar os parabéns a dupla pelo texto e que na minha humilde opinião deve haver sempre uma via de Mao dupla entre o esporte (basquete) e as mídias para que ocorra o processo de inserção do mesmo nas escolas e nas praticas sociais, através de projeto como o campeonato brasileiro de basquete de rua organizado pela CUFA(central únicas das favelas) e a LIIBRA(liga internacional de basquete de rua ), acredito que um projeto como esse pode romper com a mono cultura do esporte dentro da mídia pois estimula tanto atletas anônimos a participar como estimula também aqueles que assistem a passar a ter uma identificação com o esporte e daí então provocar a mídia a televisionar jogos de basquete por ter um publico a atingir. Quando vocês mencionam o vôlei acredito que essa inserção tanto nas praticas sociais quanto nas escolas se da por conta de que tanto o vôlei de quadra quanto o vôlei de praia possui ídolos que se encontram na ativa e também pelos resultados que se tem com relação a vitorias tanto em campeonato mundial quanto em olimpíadas daí a identificação com o vôlei por parte da população.

Álax disse...

Belo texto e discussão!!!
Fica claro que a estratégia da rede globo é esta mesmo, instigar os interessados pela modalidade a buscar assinar e contratar os serviços particulares, por isso falar nas reportagens e não mostrar os jogos.
O jogo das estrelas é mais uma forma de isca pois aquele espetáculo ali vai atrair pela forma como é realizada o desafio, mais jovens atletas e compradores de seu produto.