sábado, 24 de outubro de 2009

Abaixo à baixaria na TV!

No último dia 18 foi celebrado o “Dia nacional contra a baixaria na TV”. Nessa data, impulsionada pela campanha “Quem financia a baixaria é contra a Cidadania”, o programa Ver TV, apresentado pelo jornalista e professor de comunicação, Lalo Leal, foi totalmente dedicado à temática trazendo para a discussão os mais variados assuntos sobre o meio, de programas infantis ao jornalismo, passando pela importância de se abrir o debate à população brasileira.

Também foram apresentados os cinco melhores programas da TV aberta brasileira, escolhidos por meio de uma enquete realizada em Brasília e pela internet. Os melhores foram: CQC (TV Bandeirantes; Altas Horas (TV Globo); Castelo RáTimBum (TV Cultura); Roda Viva (TV Cultura) e Observatório da Imprensa, (TV Brasil).

Os programas jornalísticos apareceram em massa, enquanto o único infantil escolhido foi um programa reprisado feito há mais de dez anos! Ninguém nega a qualidade do Castelo RáTimBum, que foi dirigido pelo talentoso Cao Hamburguer. O que chama atenção é falta de coisas novas na TV, e aí não só nos infantis como em outros gêneros.

E os programas esportivos?

No XVI Ranking da Baixaria na TV eles aparecem, e em primeiro lugar! O programa com o maior número de denuncias fundamentadas foi o "Jogo Aberto" (TV Bandeirantes). Veja o ranking completo aqui.

A discussão valeu para pensar sobre diversas problemáticas que envolvem a mídia, entre elas, a contribuição efetiva do povão.

Segundo Pedrinho Guareschi, um dos convidados do programa, para garantir a participação popular nesse espaço, a alfabetização midiática é fundamental. Outro ponto apresentado, dentre vários, foi a importância da veiculação do debate sobre a mídia na própria mídia, uma vez que é por ela que a população se informa.

Cabe aqui uma frase muito bacana de autoria de Herbert de Souza, o Betinho, citada na contracapa do livro “Mídia, Educação e Cidadania”, de Guareschi, publicado em 2003 (que peguei emprestado na biblioteca do Labomídia):

"O termômetro que mede a democracia numa sociedade é o mesmo que mede a participação dos cidadãos na comunicação"

Uma oportunidade para conhecer melhor como é, e como deverá ser a legislação da comunicação brasileira será a Conferência Nacional de Comunicação (Confecom) que, segundo o Portal Imprensa, teve a data de realização alterada (novamente). Será de 14 a 17 de dezembro na minha linda e seca cidade: Brasília.

Aqui nesta também linda, só que úmida cidade, Florianópolis, a Conferência Estadual está marcada para 7 e 8 de novembro, de acordo com a agenda do Comunica SC.

A campanha "Quem financia a baixaria é contra a cidadania" é uma iniciativa da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados, em parceria com entidades da sociedade civil. Criada em 2002, tem como objetivo o incentivo à qualidade da programação televisiva além de ser um canal para a denuncia de programas que desrespeitam os direitos humanos.

Quem perdeu o programa poderá assisti-lo na internet, no site da TV Câmara que, geralmente, posta os programas umas duas semanas após a veiculação na TV.

2 comentários:

Giovani disse...

Excelente, Lyana,

Acho até que poderiamos pensar num ranking desses para denunciar as baixarias nos programas esportivos de mesa redonda da TV aberta, por exemplo...
Meu voto vai para o Terceiro Tempo do Merchan Neves...

Cristiano Mezzaroba disse...

Lyana, Gio: pois é, excelente ideia! Quem sabe, conversando com Dieguito, podemos pensar em fazer nossa próxima enquete pensando nesse ranking. Pra sugerir mais um programa, apesar de não ser "mesa redonda em TV aberta", sugeriria ampliar essa possibilidade de voto e o meu iria pras transmissões cujo comentarista é o "grande jogador" (e falador de besteirol) chamado "Neto", que empresta todo seu charme, inteligência, elegância e educação nas transmissões futebolísticas da Band.