terça-feira, 2 de março de 2010

Mídia Automobilística Míope


Você, caro leitor, é fã de automobilismo? Não perde uma corrida? Assiste aos poucos programas televisivos destinados ao assunto? Pois bem, na opínião de Alberto Dines, do Obervatório da Imprensa, os discursos "jornalísticos" sobre automobilismo estão a favor da indústria. A alegação do jornalista é baseada na omissão de informações sobre o pedido de desculpas apresentado pelo presidente mundial da Toyota, Akio Toyoda, na semana passada, relativo à montadora detectar há mais de um ano defeitos nos freios dos carros fabricados por ela na Europa e não anunciar os problemas antes. Enquanto os nossos informantes de automobilismo, em programas como o "AutoEsporte" da rede Globo, e outros do gênero, se dedicam, via um suposto jornalismo esportivo, a nos apresentar inovações tecnológicas e "novidades" do mundo do automobilismo, o que se nota nesses veicúlos é a mais pura ausência de informação ao público quando o assunto é contrário aos interesses de tal setor produtivo. Para Dines, "O caso Toyota [...] mostrou que a imprensa especializada em automóveis está a serviço da indústria, não do consumidor". É, querem nos vender corridas automobilísticas e um desejo desenfreado(a palavra aqui não é por acaso) de consumo por carros e acessórios. Agora, ser "os olhos do povo" quando o assunto é o nosso direito de consumidor, isto ainda não se viu. Estamos de olho!

Para mais informações consulte o site do Observatório da Imprensa no link http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=578IMQ009

Imagem extraida da internet no site www.cgn.inf.br/?system=news&action=read&id=49275

6 comentários:

Silvan Menezes disse...

Diego, por falar de automobilismo, a temporada de F1 que está para começar terá 4 brasileiros em disputa. A dúvida que paira nos arredores dos autódromos é se as escuderias confiam realmente na capacidade dos canarinhos como pilotos ou se acreditam na capacidade que as imagens destes esportistas, representantes de uma nação tão apaixonada por esporte, tem de inserir suas marcas no mercado de um país também muito apaixonado por carro.
Cuidado com o Schumacher. Ele está de volta!

Diego S. Mendes disse...

Não sei se as nossas futuras safras de pilotos automobilísticos vão deixar a desejar, mas que a participação deles para este segmento de mercado é relevante, eu não tenho a menor dúvida!!! Enquanto isso, esse tipo de cobertura jornalística segue vendendo desejos e poucas informações qualificadas!!!

regina disse...

O Brasil agora quem sabe não volta a viver a era Sena né mesmo...

Lyana de Miranda disse...

É Diego, por essas e por outras é que estou lançando a campanha: MAIS INFORMAÇÃO E MENOS DIVULGAÇÃO!! Sobretudo no jornalismo esportivo no qual jornalismo e publicidade se fundem e se confundem. Credo! Ainda vou formular um texto bacana para abrir a campanha. O que vc acha?

Diego S. Mendes disse...

Muito bacana Lyana, eu acho importantíssimo. Nossa (mono)cultura esportiva sempre padeceu da ausência de informações qualificadas. Imagine que os grandes eventos mundiais sobre ecologia, política, econômia, saúde etc, são cobertos por especialistas das temáticas, enquanto no jornalismo esportivo, na ocasião de uma copa do Mundo, temos a cobertura da equipe do casseta e planeta, cantores, atrizes. Nada contra a participação das "estrelas" nesses eventos, agora, isso lá é jornalismo? Não dá!

Viva a capanha!!!!!!MAIS INFORMAÇÃO E MENOS DIVULGAÇÃO ...já!!!!!!!!

Aguardamos o texto!

Carol Garcia disse...

Com certeza essa campanha vai bombar por isso vamos lá Mais Informação e Menos Divulgação... JÁ²!!!