terça-feira, 30 de março de 2010

Só vão os bons???(Parte 2) - E os chegados???

Caros colegas,

Armando Nogueira se foi, fica a lacuna em nosso jornalismo esportivo.Enquanto nos despedimos desse ícone, eis que um novo "chegado" vem nos brindar com muita sensibilidade e qualidade no trato com o tema do esporte na mídia. Não estou falando de nenhum jornalista dos grandes meios de massa, mas de um amigo que o Observatório da Mídia Esportiva não poderia deixar de destacar seu trabalho, trata-se do Prof. Dr. Ricardo Lucena, da UFPB. Não é que agora esse renomado pesquisador da Educação Física tem escrito em um jornal local de João Pessoa. Segue abaixo um de seus textos:

ESPORTE E LITERATURA
Ricardo Lucena

A abordagem do esporte, caro leitor, pode ser feita de várias maneiras. No Brasil, uma das formas mais instigantes é pela aproximação do esporte com a literatura ou, pelo menos, com os literatos. No início do século XX foi através dos nossos “homens das letras” que mais ouvimos falar das práticas esportivas.
Dois grandes escritores brasileiros na virada do século XIX para o século XX eram Olavo Bilac e Coelho Neto. Cada um, a seu modo, se envolveu com essa prática e escreveu crônicas sobre o esporte e sua relação com a vida. A propósito, as crônicas dos jornais do início do século XX eram quase uma radiografia da vida das nossas cidades. Ao ser mencionado nessas crônicas, podemos ver como o tema do esporte chamava a atenção de uma população ainda desconfiada dessas práticas esquisitas, mas muito relacionadas com o modo de vida urbano.
Olavo Bilac dedicou inúmeras linhas sobre o tema, e em crônicas como “Salamina” de 1904, já se reportava ao Remo como uma prática inusitada cujos atletas só podiam ser comparados aos guerreiros da batalha de Salamina. Coelho Neto, além dos textos, ainda teve filhos que se tornaram atletas de futebol. O nosso José Lins do Rego, algum tempo depois, escreveu mais de mil crônicas esportivas veiculadas no Jornal dos Sports durante quase 12 anos e foi um apaixonado pelo futebol. Foi dirigente esportivo e morreu levando consigo uma bandeira do seu time do coração: o Flamengo.
Por essas e outras, creio que os cronistas e as crônicas sobre o esporte dos jornais do início do século XX , são também aliados na difusão do gosto pelo esporte entre nós e responsáveis por muitos e belos textos sobre o tema.

--------------------

Nem só de perdas vive o jornalismo esportivo. Que baita ganho esse, heim?

Em breve vamos divulgar mais textos de Ricardo Lucena publicado na mídia local paraibana!

Fiquem à vontade para comentar.

5 comentários:

Anônimo disse...

Oie,sou estudante de ef aqui de São Paulo (Univ. São Judas)e gostaria de parabenizar o pessoaldo blog pela qualidade do material de vcs.

Patrícia

Silvan Menezes disse...

Grande Diego,

Show de bola esse aperitivo, a expectativa vai ser grande pelo que vem por ai.
Parabéns pela divulgação e ampliação que você está sempre em busca.

Giovani disse...

Opa, que bela aquisição para reforçar o nosso blog. Parabens, Diegão!
Ricardo, seja muito bem-vindo, será uma grande satisfação acompanhar teus comentários aqui no blog.

Diego S. Mendes disse...

É isso ai Silvan, em breve teremos mais textos do Lucena no blog.

Anônimo disse...

Há que se lembrar também de Nelson Rodrigues e Orlando Duarte, que escreveram belas crônicas sobre esporte